Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player




Em comício, Haddad diz que há ‘milhões de Lulas’ e que vai continuar a ser advogado de ex-presidente

Postado: 22/09/2018 - Categoria: Chuva - Comentários: 0 comentáio - 417 views

Download PDF

 

 

Candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad disse, em comício na cidade de Montes Claros (MG) na noite dessa sexta-feira, 21, que continua sendo advogado do ex-presidente Lula e vai continuar a ser, afirmando ainda que há “milhões de Lulas” pelo País.

 

“Estou sempre visitando o presidente Lula [na prisão], porque eu sou e continuarei sendo, entre outras coisas, o advogado dele. E sei que toda semana ele recebe um líder mundial, personalidades que vêm de várias partes do mundo prestar solidariedade dele.”

 

Haddad disse ainda que “podem ter prendido o líder, mas não podem prender a ideia”. “Não adianta prender o Lula, porque tem milhões de Lulas espalhados pelo o Brasil. Nós queremos o Brasil de volta para os brasileiros”.

 

O discurso foi em um palanque no bairro de Santos Reis, na periferia da cidade. Depois de campanha em Ouro Preto e Betim, o petista seguiu para o norte mineiro acompanhado da ex-presidente Dilma Rousseff, candidata ao Senado, e do governador Fernando Pimentel (PT), que tenta a reeleição.

 

Reforçou, em sua fala, o discurso que de “Lula é Haddad e Haddad é Lula”. “A população não pode esquecer do golpe que tirou do pobre o acesso a educação e ao desenvolvimento”.

 

Montes Claros é a cidade de Adélio Bispo de Oliveira, 40, preso por esfaquear o candidato líder nas pesquisas eleitorais Jair Bolsonaro (PSL), em Juiz de Fora, no dia 6. Não houve segurança diferenciada para o evento, apenas policiamento local e apoio de membro dos MST. Haddad não deu entrevista aos jornalistas – apenas subiu ao palanque, discursou e saiu.

 

Na última pesquisa Datafolha, divulgada na quarta-feira, 20, Bolsonaro segue na liderança, com 28% das intenções de voto, seguido por Haddad, com 16%, Ciro Gomes (PDT), com 13% e Geraldo Alckmin (PSDB), com 9%.

 

Com informações do Jornal Folha de São Paulo



Comentários

0 Comentários

Deixe o seu comentário!