Ações contra empresas de telefonia móvel são registradas

Impacto
Impacto

1404cd0230Uma ameaça de bomba no prédio onde funciona empresa que presta serviço à operadora Oi, em Fortaleza, e um ataque contra a sala de manutenção de uma antena de telefonia, no Boqueirão, em Caucaia, na Região Metropolitana, foram registrados ontem. Já à noite, uma antena no bairro Granja Portugal foi incendiada, na esquina da rua Bragança com a rua Teodoro de Castro.

 

O POVO apurou que a ameaça de bomba no prédio, na avenida Borges de Melo, foi denunciada por suposta funcionária da empresa Contax à Coordenadoria Integrada de Operações (Ciops). “Ela dizia que estava no banheiro e ouviu uma pessoa falando ao telefone que a carga estava pronta e montada no terceiro piso”, disse fonte que pediu para não ser identificada.

 

A ação policial começou às 14h30min, por cerca de 20 policiais militares do Batalhão de Policiamento de Choque (BPChoque). Cães farejadores também atuaram no local. A varredura nos três andares terminou por volta das 19h30min. Nenhum material explosivo foi achado.

 

Uma funcionária relatou que houve correria quando a Polícia avisou sobre a ameaça de bomba. Em nota, a empresa informou que tomou conhecimento da suspeita após a chegada da Polícia.

 

Em Caucaia, criminosos picharam a parede da sala de manutenção de empresa de telefonia. “Essa ação é uma represália a (sic) instalação de bloqueadores de celulares nos presídios. Estamos só começando”, dizia a mensagem, acompanhada das siglas FDN, CV e PJL, que significariam Família do Norte, Comando Vermelho e Paz, Justiça e Liberdade (esta última seria lema do Primeiro Comando da Capital, o PCC).

 

O projeto para bloqueio de celulares nos presídios foi apresentado pelo governador Camilo Santana (PT) e aprovado pela Assembleia no dia 11 de março. Com a lei, as operadoras serão responsáveis por bloquear o sinal.

 

Indivíduos teriam utilizaram uma substância inflamável para atear fogo na sala de manutenção. O incêndio não comprometeu o sistema de telefonia da região. Hoje, técnicos devem ir ao local para trocar aparelhos danificados. A tenente Alessa Milena, do 12º Batalhão da PM, informou que os próprios funcionários apagaram o fogo.

 

Até o fechamento desta página, não havia informações sobre a ação na Granja Portugal. A Secretaria da Segurança investiga os casos.

 

Ataques

 

Na última terça, 13, uma suposta mensagem de grupo criminoso com ameaças às empresas de telefonia se espalhou pela Internet. Na mensagem, falava-se em ataques a antenas e contra a Polícia.

 

Na mesma noite, três pessoas invadiram ônibus em Pacatuba e incendiaram o veículo. O motorista teve queimaduras de 3º grau.

 

No último dia 5, 13 quilos de explosivos foram abandonados em um automóvel estacionado ao lado da Assembleia. O material estava pronto para ser detonado. O POVO apurou que a ordem para as explosões partiu do Presídio da Pacatuba. Vistoria na unidade resultou na apreensão de celulares.

 

Informações: O povo

 

Share this Article
Leave a comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.