Notícias

Após acidente, Dakar tem etapa das mais difíceis da história

Powered by Rock Convert

O Rally Dakar completa, hoje, uma semana de competição. Desde a largada, no último sábado, até ontem, haviam sido percorridos 2.926 km de um total de 8.574 km pelos territórios de Peru, Chile e Argentina. Na noite de quarta-feira, um acidente envolvendo dois táxis e um carro de apoio fez as primeiras vítimas da competição. O carro do Dakar e um dos táxis colidiram frontalmente, enquanto o terceiro veículo conseguiu evitar a colisão, mas capotou na manobra. Segundo a imprensa peruana, o motorista e um passageiro do primeiro táxi morreram e outras 10 pessoas ficaram feridas. O acidente aconteceu perto da cidade chilena de Tacna. Os três integrantes do carro de apoio da Race2 Recovery, formada predominantemente por veteranos de guerra aposentados que sofreram amputações ou traumas psicológicos, ficaram feridos.

Tragédia à parte, o Rally Dakar seguiu para a sexta etapa, onde levou os pilotos em um percurso de 769 km entre as cidades chilenas de Arica e Calama, com 438 km de trechos cronometrados. Nas temidas dunas do deserto do Atacama, a etapa foi a mais seca e uma das mais difíceis da história do Dakar. Entre os desafios naturais esteve um trecho de areias finas como talco, que dificultaram controle e visibilidade. Some-se a isto a altitude do local e terá uma ideia do quão cansativa foi a especial. Nos carros, Nasser Al-Attiyah e Lucas Cruz venceram a etapa e diminuíram para apenas 1m18s a vantagem dos franceses Stéphane Peterhansel e Jean-Paul Cottret, ainda líderes no geral. Al-Attiyah fechou a especial em 3h32m08s, exatos 8m36s a menos que Peterhansel. Os dois carros disputam a liderança folgados, com mais de 40 minutos de vantagem para o terceiro lugar.

Apenas três brasileiros continuam entre os carros. Marcos Baumgart e Kleber Cincea capotaram na quinta etapa e não houve a possibilidade de reparo do carro. Assim, o Brasil conta com Guilherme Spinelli e Youssef Haddad e com Reinaldo Varela, que corre sozinho com um UTV. Bruno Sperancini e Thiago Vargas não largaram ontem. Spinelli e Haddad chegaram ao acampamento de Calama na 18ª posição, 48min08s atrás de Al-Attiyah. Na classificação geral, a dupla perdeu duas posições e agora ocupa a 14ª colocação.

Entre as Motos
Sobre duas rodas, o chileno Francisco López Contardo venceu a etapa e voltou à briga pelo título. Ele terminou os 438 km da especial em 3h36m21s, quase quatro minutos à frente do tetracampeão Cyril Després (vice-líder no geral e 3º na etapa) e mais de sete minutos do atual líder do rali, o francês Olivier Pain (9º da etapa). Com isso, López Contardo diminuiu a distância de Pain para apenas 6m06s, na quarta colocação geral. Entre eles, estão Després (a 2m22s do líder) e o francês David Casteu (a 4m48s de Pain). Único brasileiro nas motos, Jean de Azevedo terminou a parcial com o 31º tempo (4h06m24s) e ocupa a 28ª posição, de um total de 131 pilotos. Hoje, o Raly Dakar entra na Argentina, com trecho de 754 km (220 km cronometrados) ligando as cidades de Calama (Chile) e Salta (Argentina).

fonte: http://www.oestadoce.com.br

About Author

Comment here