EsporteNotíciasPolítica

Ceará vence ABC e bate recorde de público no Castelão em sua despedida da Série B

Powered by Rock Convert

 

O jogo era festivo. Jogando na Arena Castelão diante de um público pagante de 56.005
pagantes, recorde da Série B e do futebol cearense em 2017, o Ceará entrou na Arena
Castelão para consagrar a temporada marcada pelo acesso e venceu o ABC/RN por 1 a 0,
na tarde deste sábado (25). O único gol do Vovô foi assinado por Maikon Leite, aos 36 do
segundo tempo.

 

O resultado coroou também o bom retrospecto do time jogando em seus domínios, onde
não foi derrotado em nenhuma partida do returno da Segundona. Os comandados de
Chamusca terminam a temporada tendo conquistado Estadual de 2017 e a 3ª colocação da
Série B, com 67 pontos (19V/10E/9D), partindo para a elite do futebol brasileiro juntamente
com América/MG, Internacional e Paraná. Enquanto isso, o ABC se despede da competição
nacional na vice-lanterna, com apenas 34 pontos (9/7/22). O time potiguar vai jogar a Série
C no próximo ano.

 

Veja o gol da vitória

 

 

O jogo
As duas equipes chegaram na última rodada da Série B com seus destinos já traçados para
2018: o Ceará conquistou o acesso, enquanto o ABC partiu para o decesso. Apesar disso, o
discurso que antecedia o confronto era de que os times precisavam vencer para finalizar
bem a temporada.

 

O primeiro grande lance surgiu dos pés de Matheus, centroavante potiguar, aos 14. O
atacante obrigou Éverson a fazer uma boa defesa, a única participação do arqueiro
alvinegro na partida.

 

O Ceará respondeu no minuto seguinte, quando Pedro Ken recebeu bola escorada de
cabeça por Luiz Otávio dentro da área, ajeitou o corpo e finalizou de perna direita,
mandando longe do gol adversário. Aos 27, o Vovô teve nova chance, dessa vez com Lima.
O meia chutou rente à trave do arqueiro Edson.

 

As chances eram criadas em sequência pelos donos da casa, que administrava a partida
sem muito esforço. O ABC tentava puxar contra-ataques, mas era facilmente interceptado
pelas linhas defensivas do Vovô. O último lance de perigo saiu dos pés de Pedro Ken, em
finalização rasteira aos 44 minutos da etapa inicial.

 

Na volta do intervalo, o técnico Marcelo Chamusca promoveu duas mudanças no time por
conta de lesão. Saíram Rafael Pereira e Lima para as entradas de Tiago Alves e Roberto.
As mexidas não diminuíram o ritmo de treino do confronto, que permanecia sem grandes
lances.

 

O comandante alvinegro então promoveu a entrada de Maikon Leite, aos 20, deixando o
setor ofensivo do Vozão com mais mobilidade e velocidade. O gol da vitória surgiu
justamente desse jogador. Aproveitando cruzamento de Leandro Carvalho, o atacante
dominou a bola no peito e bateu rasteiro, sem chances para Edson. Festa para os mais de
56 mil espectadores na Arena Castelão, aos 36 do segundo tempo.

 

O ABC demonstrou-se aguerrido e tentou o empate, mas as limitações técnicas impediam
mais jogadas em profundidade. A despedida alvinegra da Série B terminou com vitória do
Ceará e a 3ª colocação assegurada com o resultado da partida.

 

Recorde de público

A despedida alvinegra da Série B do Brasileirão foi marcada por um novo recorde de público
pagante da competição e também do futebol cearense em 2017. Um total de 56.005
espectadores acompanharam, na tarde deste sábado (25), a vitória do Alvinegro de
Porangabussu por 1 a 0 diante do ABC na Arena Castelão.

 

Até então, o recorde de público no Estado do Ceará havia sido registrado na partida entre
Fortaleza e CSA/AL, válido pelo primeiro jogo da final da Série C. Na ocasião, 44.778
espectadores pagaram para assistir o triunfo do Azulão por 2 a 1 sobre o Tricolor do Pici.

 

Já se tratando de público na Série B, o Vozão quebrou um recorde que já era seu. Jogando
no mesmo estádio, mas dessa vez contra o Paysandu, em partida válida pela Série B,
44.172 pessoas compraram ingresso para assistir o triunfo alvinegro por 2 a 0. Os números
não são surpresa tendo em vista que a equipe cearense acumula quatro dos cinco maiores
públicos pagantes de toda a competição; confira a lista:

1º) Ceará 1 x 0 ABC – 56.005
2º) Ceará 2 x 0 Paysandu – 44.172
3º) Ceará 1 x 0 Londrina – 40.280
4º) Paraná 1 x 0 Inter – 39.414
5º) Ceará 2 x 2 Figueirense – 37.347
6º) Ceará 1 x 0 Paraná – 35.992
7º) Inter 3 x 2 Paysandu – 33.193
8º) Inter 0 x 1 Ceará – 32.977
9º) Inter 3 x 0 Goiás – 32.808
10º) Inter 2 x 1 América – 32.685
Comandante do acesso
Um time vitorioso é composto por inúmeras peças-chave e, sem sombra de dúvidas, o
técnico possui papal decisivo no desempenho de qualquer equipe. Nesse sentido, o
comandante do acesso alvinegro à Série A do Brasileirão, Marcelo Chamusca, foi
fundamental para a consolidação do Vovô.

 

Chegando apenas na 10ª rodada da Segundona, depois dos trabalhos de Gilmar Dal Pozzo,
Givanildo Oliveira, além do interino Daniel Azambuja no início da temporada de 2017,
Chamusca organizou o padrão de jogo alvinegro, mexeu no plantel titular e garantiu o
retorno no Ceará à elite do futebol brasileiro depois de sete anos. Em 28 jogos à frente do
Vovô, o treinador conquistou 15 vitórias, 7 empates e 6 derrotas, conseguindo um
aproveitamento de 62% dos pontos disputados.

 

Esse foi o terceiro acesso de Marcelo Chamusca em cinco temporadas. Em 2013, ele levou
o Salgueiro à Série C. Já em 2016, foi vice-campeão da Terceirona com o Guarani/SP,
garantindo vaga na Segunda Divisão do Brasileiro.

 

Ficha técnica
Ceará 1 x 0 ABC/RN
Local: Arena Castelão, em Fortaleza/CE.
Data: 25/11/2017
Horário: 16h30 horas
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Assistentes: José Reinaldo Nascimento Junior (DF) e Daniel Henrique da Silva Andrade
(DF)
Cartão amarelo: Lima (Ceará)
Gol: Maikon Leite, aos 36 do 2º tempo.
Renda: R$ 1.461.839,00
Público: 56.005 pagantes (994 não pagante). Total: 56.999 espectadores

 

Ceará: Éverson, Richardson, Rafael Pereira (Tiago Alves), Luiz Otávio e Cafu (Maikon
Leite); Raul; Pedro Ken e Ricardinho; Lima (Roberto), Leandro Carvalho e Élton. Técnico:
Paulo Bonamigo

 

ABC: Edson; Arez, Tonhão, Danrlei e Daniel Nazaré; Jardel, Erivélton e Berguinho; Fessin,
Dalberto e Matheus. Técnico: Ranielle Ribeiro.

 

Diário do Nordeste

About Author

Comment here