NotíciasPolítica

Dilma monta operação política para garantir base aliada unida

Powered by Rock Convert

Mesmo distante há mais de um ano das disputas eleitorais de 2014, os candidatos cogitados para concorrer à vaga no Palácio do Planalto, já estão correndo atrás de solucionar pequenos detalhes para lançar candidatura e tentar garantir o maior cargo na área política.  A presidente Dilma Rousseff (PT), que irá tentar se reeleger, montou uma operação política para evitar problemas com as principais bases aliadas: o PMDB e outros partidos que apoiam o governo no Congresso.  Como estratégia a petista tem contado com a ajuda o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, responsável em comandar a articulação, e o presidente do PT, Rui Falcão, ambos encarregados de negociar a chapa de Rousseff.  O objetivo é reeditar no ano que vem a ampla coligação partidária que deu a Dilma o maior tempo de propaganda na TV nas eleições de 2010.  Durante esta semana, Dilma deverá se reunir com o vice-presidente Michel Temer (PMDB-SP) e os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). O plano é tentar melhorar a articulação política no Congresso, atender pleitos de parlamentares aliados e acalmar os ânimos.  O Planalto poderá tentar resgatar as reuniões do conselho político, fórum integrado pela presidente e os líderes dos partidos aliados no Congresso.  Enquanto isso, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, continua encarregada de tocar o dia a dia com o Congresso. Já Mercadante tocará o atacado, além da agenda eleitoral, ao lado de Rui Falcão.  Essa movimentação é uma forma de banir os problemas do governo com o Congresso, que não ficaram limitados apenas ao PMDB. Alguns petistas insatisfeitos com alguns pontos criticaram a interlocução do Palácio do Planalto com seus aliados.

Mais informações: Folha de S.Paulo

About Author

Comment here