NotíciasPolítica

Ex-prefeito de Itatira é líder de quadrilha, diz CGU

Powered by Rock Convert

Operação Cactus envolve também o Dnocs O ex-gestor, um filho e uma assistente são apontados como mentores de suposto esquema de fraude em licitação

Um ex-prefeito de Itatira é apontado pela Controladoria Geral da União (CGU) como líder da suposta associação criminosa que teria desviado recursos e fraudado licitações em 20 cidades cearenses. Sem mencionar nomes, o órgão publicou ontem, em seu site, que um filho do político e uma assistente também estariam na linha de frente do esquema, investigado na Operação Cactus, da Polícia Federal. O POVO apurou que o ex-prefeito é Afonso Machado Botelho, que comandou Itatira de 1997 a 2000. No ano passado, ele chegou a ser condenado pela Justiça Federal por desvio de verbas. Segundo a CGU, investigações preliminares da Operação Cactus mostram que o ex-prefeito atuaria como lobista junto com 20 prefeituras do Ceará, para as quais ele teria conseguido direcionar dinheiro público através de convênios e emendas parlamentares. Ainda segundo a Controladoria, o grupo criminoso se infiltrava nos órgãos federais de onde saíam os recursos, obtendo facilitações de servidores públicos.

Esses agentes evitariam que os convênios e projetos fossem fiscalizados, como forma de garantir que as irregularidades passariam despercebidas. Conforme apontam as investigações, haveria simulação de licitações com empresas fantasmas controladas pelo grupo, assegurando-se, assim, que o dinheiro fosse desviado.

Filiado ao antigo PPB (hoje PP), Afonso Machado Botelho foi condenado, no ano passado, a cinco anos e nove meses de reclusão em regime semiaberto por, supostamente, ter desviado recursos que seriam usados na recuperação de três Centros de Referências para Crianças e Adolescentes. Ele recorreu da decisão e não chegou a ser preso.

Durante a noite de ontem, O POVO não conseguiu localizar o ex-gestor para comentar a investigação.

 

Onde  

ENTENDA A NOTÍCIA

Participaram da Operação Cactus 268 policiais federais e 10 auditores da CGU. Além dos 20 municípios cearenses, também teriam sido atingidas cidades em Goiás, no Distrito Federal, e em Natal e no Rio Grande do Norte.

http://www.opovo.com.br

About Author

Comment here