CidadesNotíciasPoliciaSaúde

‘Foi a maior covardia que vi’, diz amiga de assessor jurídico morto a facadas em bar de Fortaleza

Powered by Rock Convert

O suspeito de cometer o crime era ex-marido da namorada do assessor do Ministério Público do Ceará. Ele foi preso logo após o crime, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS)

O assessor jurídico do Ministério Público do Ceará, Dione de Moura Araújo, morto a facadas pelo ex-marido da namorada no último fim de semana, em Fortaleza, foi enterrado na manhã desta segunda-feira (9). Uma amiga da vítima, que acompanhou o sepultamento e não quis se identificar, presenciou o crime e afirmou: ‘Foi a maior covardia que vi’.

Dione de Moura, que foi sepultado no Cemitério Memorial Ternura, no bairro Ancuri, em Fortaleza, estava no último sábado (7) com a namorada em um bar no bairro Cambeba, também na capital cearense. No fim da noite de sábado, segundo a amiga da vítima, o suspeito, Carlos Rhylder Feitosa de Oliveira, abordou o assessor jurídico.

“Nós estávamos em pé, conversando, ele estava do meu lado. De repente, o cara chegou, dando por trás, os golpes. Eu pensei que eram murros. Puxei ele (o suspeito) pela blusa, e o Dione já correu, e ele (Carlos) correu atrás do Dione, que pulou um alambrado mais alto que tinha, tropeçou, caiu e se machucou. Já tinha muito sangue, pois a facada foi no pescoço“. afirmou a mulher. 

Legenda: Assessor jurídico Dione Moura foi assassinado em bar no bairro Cambeba.Foto: Reprodução/Instagram

A amiga de Dione acredita que instantes antes dos golpes, o suspeito, já no bar, acompanhava os movimentos da vítima, para atacá-lo. “Ele levou uma faca. Não foi do bar. Ele chegou no local por volta de 22h45 e assassinou o Dione por volta das 23h. Ele chegou e ficou olhando o Dione de longe, já esquematizando como ia fazer. Não houve briga, não houve reação do Dione”.

Para a amiga do assessor, o suspeito agiu de forma covarde. Ela contou ainda que  Carlos ficou em silêncio durante o ataque à vítima. “Do jeito que ele estava, ele poderia até machucar outras pessoas, mas ele só queria machucar o Dione. Foi a maior covardia que vi e ouvi falar. Ele não falou nada. Veio para matar o Dione.” 

Prisão

Carlos ainda tentou fugir logo após o crime, mas foi preso pela Polícia Militar do Ceará, informou a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). O suspeito, após ser capturado, confessou o ataque e afirmou aos policiais que o cometeu por “questão de honra”. 

De acordo com a Secretaria, Carlos, que já tinha antecedentes criminais por crime de trânsito e posse irregular de arma de fogo, foi levado ao 2º Distrito Policial (Meireles), onde foi autuado em flagrante por homicídio.

Posteriormente, a prisão dele foi convertida em preventiva, já que, segundo o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE), o juiz que proferiu a decisão entendeu que o suspeito “representa grave risco de vida para a própria ex-esposa e, consequentemente, para a ordem pública”. 

Tentativa de socorro 

A amiga da vítima conta que, até os últimos momentos de vida de Dione, a namorada ficou próxima a ele. O assessor foi transportado por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos. 

Ela estava chocada. Muito triste. Ficou perto dele até o último segundo. A gente colocou ele dentro do carro ainda, (…), encontramos o Samu, mas já não tinha jeito”, conta a mulher. 

Conforme a amiga, a vida de Dione foi interrompida quando ela estava em seu melhor momento. “Ele era um cara muito bacana. Era um bom filho, um bom amigo. Não tinha inimizade com ninguém, muito pelo contrário. Era um cara que estava sempre pronto para ajudar. Estava no auge da vida dele, vivendo e feliz”. 

O bar onde aconteceu o crime emitiu um nota por meio do Instagram na qual afirma que estar chocado com o ocorrido e que se solidariza com a família de Dione. “Desde nossa inauguração nunca havíamos registrado qualquer problema em nossa casa. Estamos consternados e chocados com o ocorrido, não toleramos qualquer tipo de violência”.

Diário do Nordeste

About Author

Comment here