Lula promete ‘trincheira’ por saída de Temer

Impacto
Impacto

brazil_corruption_andre_penner_ap

 

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu neste sábado (20) que Michel Temer (PMDB) “saia logo” da Presidência e prometeu estar “na trincheira” para defender a realização de eleições diretas e impedir que a escolha seja feita pelo Congresso.

 

“Não queremos um presidente eleito indiretamente, mas pelo povo brasileiro. Seja quem for, não importa quem for”, afirmou.

 

Saudado com gritos de “Lula presidente”, o petista voltou a dizer que as acusações de que é alvo na Operação Lava Jato lhe dão “vontade de disputar a eleição”.

 

“Eu tinha imaginado que não seria mais candidato a nada. Agora, com essa provocação, quantidade de denúncia, arrumando coisa toda semana, isso me dá vontade de disputar eleição”, afirmou.

 

Réu em três processos da Lava Jato, Lula reconheceu que sua candidatura depende, entre outros fatores, de decisão da Justiça – se for condenado em segunda instância, o petista pode ser declarado inelegível.

 

Em um discurso de cerca de 40 minutos durante posse da nova diretoria do PT em São Bernardo do Campo, Lula não mencionou a delação de Joesley Batista e de outros executivos da JBS.

 

Os depoimentos implicaram diretamente Temer e o tucano Aécio Neves, então presidente do PSDB, mas também apontaram pagamento de propina a ele e à antecessora Dilma Rousseff.

 

Ao falar sobre o “ódio ao PT”, afirmou que “um ou outro praticou corrupção”, mas que “eles praticaram corrupção por 500 anos neste país”.

 

TUCANOS
Um dos nomes considerados pelo PSDB para a disputa, o prefeito João Doria defendeu a permanência da sigla na base de Temer e clamou por “bom senso” para “proteger o país”. Sem citar o presidente, disse que não se pode “jogar tudo para o alto” por conta da nova crise.

 

O Estado

Share this Article
Leave a comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.