Notícias

Não temos de ter medo de ninguém

Powered by Rock Convert

Fogo de palha pela empolgação de jogar em casa ou retorno do vistoso e tradicional futebol brasileiro? Questionamento a se fazer diante de uma primeira fase perfeita, com três vitórias. Passado o início confiante, a tentativa agora a ser conquistada é uma ida à quinta final de Copa das Confederações. Mais que isso, despachar o Uruguai em casa, hoje, às 16 horas, no Mineirão, virou uma questão de honra depois da derrota histórica contra a Celeste na final da Copa de 50.  Felipão não tem do que reclamar quanto ao desempenho do time nas primeiras partidas da competição. Maior volume de posse de bola em todos os jogos e oportunidades de gol criadas com frequência pela equipe verde e amarela.  “Já temos uma base depois de três jogos decisivos. Isso faz com que o grupo vá acreditando, assim como a torcida. Os treinadores de outras seleções também estão nos vendo num bom caminho. Estamos resgatando um pouco daquela história da Seleção. Não temos de ter medo de ninguém”, comentou o técnico em entrevista coletiva antes do treino de ontem.

Paulinho

Já não existe mais o susto vivido com a lesão de Paulinho, que torceu o tornozelo ainda na partida contra o México e foi poupado diante da Itália. O volante do Corinthians, peça fundamental do meio-campo brasileiro, treinou normalmente e vai atuar.  O time titular que participou do trabalho de reconhecimento do gramado do estádio Mineirão foi o mesmo que iniciou a competição, com a volta de Hernanes ao banco de reservas.   Luiz Gustavo, Neymar e Fernando sofreram pancadas durante a atividade e foram atendidos ainda em campo, mas não preocupam para o jogo.  Outro que sofreu é Bernard, mas no treino de segunda. O atleta vai poder seguir nos planos de Luiz Felipe Scolari. O meia atuou normalmente e vai ficar à disposição no banco de reservas.

 Trio ofensivo

Oscar Tabárez, técnico do Uruguai, não confirmou o time titular da Celeste para o duelo contra o Brasil.   Os jogadores da Canarinho devem ter cuidado com o trio ofensivo da equipe adversária, formado por Diego Forlán, Edinson Cavani e Luis Suárez. Durante coletivo, o goleiro Júlio César confirmou a preocupação com a qualidade do ataque uruguaio.  Mesmo time do começo Felipão terá a chance de escalar os mesmos 11 jogadores que iniciaram a Copa das Confederações no time titular do Brasil, quando venceu o Japão, no dia 15 de junho.

http://www.opovo.com.br/

About Author

Comment here