NOTA | CONSÓRCIO PÚBLICO DE SAÚDE DE CAMOCIM

Impacto
Impacto

O Consórcio Público de Sáude de Camocim vem por meio desta nota manifestar a verdade real com base no princípio da transparência em respeito à população dos municípios de Camocim, Barroquinha e Martinópole que poderá estar prejudicada. 

O ano de 2021 foi marcado por um período forte de pandemia em que os atendimentos eletivos, ou seja, agendados deveriam ser reduzidos. Apesar disso, seguindo todos os protocolos de vigilância sanitária, este Consórcio de Saúde manteve suas duas unidades Policlínica Cel. Libório Gomes da Silva e CEO-R José Hindenburg Sabino em funcionamento garantindo a assistência especializada à população dos 5 municípios da região.

A policlínica Cel. Libório ofertou em 2021 para o município Barroquinha um total de 7.782 atendimentos entre consultas e exames, ofertou para Camocim um total de 31.373 atendimentos entre consultas e exames, ofertou para Chaval um total de 7.041 atendimentos entre consultas e exames, ofertou para Granja um total de 26.861 atendimentos entre consultas e exames e ofertou para Martinópole um total de 5.503 atendimentos entre consultas e exames.

A policlínica Cel. Libório Gomes é uma unidade de Atenção especializada que dispõe das seguintes especialidades: Cardiologia, Cirurgia Geral, Dermatologia, Endocrinologia, Gastroenterologia, Ginecologia e Pré-Natal de Alto Risco, Mastologia, Neurologia, Oftalmologia, Ortopedia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Urologia, Fisioterapia, Terapia ocupacional, Nutrição, Enfermagem, Nutrição e Psicologia, além de dispor dos seguinte exames: Audiometria, realização de Biópsias, Ecocardiograma, Eletrocardiograma, Eletroencefalograma, Endoscopia, Exames laboratorias, Mamografia, Radiografias, Ressonância Magnética, Teste Ergométrico, Tomografia Computadorizada e Ultrassonografias.

Vale ressaltar que as consultas ofertadas tanto na Policlínica Cel. Libório Gomes quanto no CEO-R José Hindenbrug Sabino são ofertadas em sua totalidade pelas centrais de Regulação dos municípios, não sendo retirada nenhuma vaga disponível dos municípios. No mais, muitas vagas ficam ociosas seja pela ineficiência dos municipios em agendarem ou pelas ausências dos pacientes agendados, cujo absenteísmo é utilizado para reduzir perdas de assistência à saúde da população.

Este Consórcio tem sido denegrido por alguns dos municípios (entes consorciados) que pretendem fazer parecer que este órgão tem sido inefeciente com o objetivo claro de justificar o fato que os mesmos não pretendem disponibilizar os recursos financeiros necessários para o custeio dos órgãos deste consórcio o que ocasionará na suspensão dos atendimentos, assim, pretendem culpabilizar o Consórcio pelas consequências da retirada dos recursos.

Por fim, a gestão atual do Consórcio Público de Saúde de Camocim reforça que segue com a intenção de oferecer a assistência especializada à população da região de modo responsável e integral cumprindo com suas obrigações como órgão de saúde, desde que haja a manutenção dos recursos que apenas foram garantidos, até o momento, apenas pelos prefeitos municipais de Chaval e Granja.

Share this Article
Leave a comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.