Polícia Federal fecha acordo de delação com Marcos Valério

Impacto
Impacto

image

 

 

A Polícia Federal fechou acordo de delação premiada com o operador do mensalão Marcos Valério Fernandes. No início do ano, a colaboração de Valério havia sido rejeitada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG). O acordo aguarda homologação do Supremo Tribunal Federal (STF), pois cita políticos com foro privilegiado, como o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

 

A pedido da Polícia Federal, Valério foi transferido na última segunda-feira (17) para uma unidade da Associação de Proteção e Assistência a Condenados (Apac), em Sete Lagoas (MG). O juiz da Comarca de Contagem Wagner de Oliveira Cavalieri, que autorizou a transferência, explicou que a medida teve como objetivo “concluir procedimento de colaboração premiada sob análise do Supremo Tribunal Federal”.

 

Marcos Valério foi condenado a 37 anos, cinco meses e seis dias de prisão em regime fechado no processo do Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal e, até a última segunda-feira, cumpria pena na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem (MG).

 

Em fevereiro deste ano, a defesa de Valério entregou um conjunto de arquivos composto por 60 anexos à Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Belo Horizonte que, na época, não aceitou a delação. Dentre os documentos apresentados na delação, foram apresentadas informações sobre o esquema de desvios envolvendo suas agências publicitárias e os governos de Fernando Henrique Cardoso (1994-2002), de Lula (2003- 2005) e a gestão de Aécio Neves (2003-2005) no governo de Minas Gerais.

 

A colaboração de Valério inclui ainda informações sobre desvios em Furnas, caixa 2 nas campanhas eleitorais tucanas em Minas e interferências no processo da CPMI dos Correios. As informações são do jornal O Globo.

 

Diário do Nordeste

Share this Article
Leave a comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.