CidadesNotíciasPolicia

Preso suspeito de chefiar grupo que ameaçou vazar imagens íntimas de mais de 100 vítimas

Powered by Rock Convert

Grupo abordava, geralmente, homens casados, e realizava ameaças e extorsão. Crimes foram em Maceió (AL) e Natal (RN)

Apontado como chefe de um grupo que teria aliciado e extorquido mais de 100 pessoas, em Maceió (AL) e Natal (RN), Gerson Alves Vieira, de 41 anos, foi preso nesta quarta-feira (28), em Fortaleza. Segundo as investigações, o grupo ameaçava divulgar imagens e vídeos íntimos das vítimas.

As investigações da Delegacia Especializada em Furtos e Roubos de Natal (Defur) apontaram que o grupo procurava pessoas casadas – geralmente, do sexo masculino – e as levava para um hotel na capital do Rio Grande do Norte, onde a vítima era ameaçada e coagida. 

Gerson Alves Vieira, de 41 anos

De acordo com as investigações, enquanto a vítima era mantida no hotel, onde era ainda fotografada e mantida sob violência física e psicológica, dados bancários e cartões de crédito dela eram usados por outros integrantes do grupo criminoso. Eles realizavam transações financeiras em nome da vítima, como empréstimos, compras, transferências e saques. 

A prisão foi realizada pela Polícia Federal em parceria com as Polícias Militar e Civil do Ceará, no Bairro de Fátima, em Fortaleza, e aconteceu após solicitação de apoio feita Polícia Civil do RN. Contra Gerson, foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva pendentes.

OPERAÇÃO “EROS”

A prisão de Gerson Alves Vieira foi um desdobramento da Operação “Eros”, ocorrida no mês de abril deste ano, em Natal, com objetivo de prender suspeitos pela prática de extorsão qualificada

Contra o suspeito, além dos mandados de prisão em aberto, há seis inquéritos policiais instaurados somente pela Defur. Gerson já chegou a ser preso em Maceió e fugiu de um flagrante em Natal, na primeira fase da operação, quando foram presas duas pessoas.

O homem detido foi conduzido à delegacia e, em seguida, encaminhado ao sistema prisional onde ficará à disposição da Justiça do Rio Grande do Norte. 

DN

About Author

Comment here