GranjaNotícias

Seis novas adutoras vão abastecer sete municípios

Powered by Rock Convert

Sete municípios cearenses devem ter o abastecimento de água garantido com a construção de adutoras emergenciais até o fim de novembro. Com verba de R$ 15,4 milhões e 85,9 quilômetros de extensão no total, seis novos sistemas devem atender as cidades de Fortim, Pacujá, Graça, Parambu, Pindoretama, Potengi e Caridade. O objetivo é ampliar a redistribuição de águas dos reservatórios para localidades onde o recurso é escasso.

A medida resultou de reunião entre o secretário-chefe do Gabinete do Governador, Danilo Serpa, e o ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira. O encontro ocorreu na última terça-feira, 8, em Brasília. A montagem das adutoras é de responsabilidade da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh). O assessor técnico da presidência da companhia, Yuri Castro, afirma que o momento é de aguardar autorização e formalização do Ministério.

Os trechos, inferiores a 20 quilômetros, levam cerca de 30 dias para ser concluídos. “A intenção é que até o fim de novembro estejam prontos”, calcula Castro. No início de dezembro, as localidades beneficiadas devem entrar em colapso, já que as fontes locais de abastecimento de água não estão garantidas até este período.

Outros municípios já receberam a medida emergencial, como Milhã, Tauá, Crateús, Beberibe, Coreaú, Moraújo e Canindé. Em Acopiara, a construção de adutora de montagem rápida está em andamento. Ainda segundo o assessor técnico, as medidas cobrem todos os municípios em risco de colapso até o fim do ano.

Pedra Branca

Em Pedra Branca (261,6 km de Fortaleza), problemas de abastecimento têm sido comuns nos últimos meses do ano. Segundo o promotor de Justiça João Pereira Filho, o fornecimento de água para o distrito de Mineirolândia foi interrompido para prevenir situação de colapso na sede do município. Na tarde de hoje, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPE) realiza audiência para discutir alternativas para amenizar o problema na localidade. De acordo com o promotor, os moradores e representantes de instituições devem debater a liberação de água dos açudes Trapiá, Degredo e Guaribas. Ainda segundo o promotor, a população local prefere receber operações com carros-pipa ou a construção de adutoras de montagem rápida.

Situação dos açudes

Aumentou o número de açudes com capacidade inferior a 10% no Estado. No último dia 20 de setembro, O POVO publicou que 25 açudes estavam nessa situação. Vinte dias depois, mais oito entraram para a estatística: agora são 33 reservatórios. Os dados são da Cogerh e do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs), que realizam o monitoramento dos açudes públicos do Ceará.

A situação dos reservatórios tem piorado com o tempo. Dos 144 listados, 88 estão com volumes inferiores a 30%. Em setembro, esse número também era menor: 84 açudes estavam nessa situação. O volume de água armazenada no Estado chega apenas a 36,6% da capacidade, contra os 38,1% do mês passado. No início de agosto, os reservatórios armazenavam 41,3% do que poderiam comportar.

 Serviço

Acompanhe a situação dos açudes do Ceará

no link: www.hidro.ce.gov.br

About Author

Comment here